CLÁSSICOS DAS ÚLTIMAS PALAVRAS – 2

wpid-dirijomorte-2010-04-27-15-17.png

“DEIXA QUE EU DIRIJO”

Talvez as mais comuns das palavras derradeiras, o “deixa que eu dirijo” pode ser enunciado por qualquer um, de qualquer classe social, desde que curta uma cana braba, e é serviço quase certo para mim. Baste que se misture um carro, a ingestão desemedida de álcool, uma estúpida falta de bom senso e pronto: eis mais uma frase para o rol dos clássicos das últimas palavras.

Em alguns casos, é verdade, nem é preciso o álcool. Se quem a disser for um braço-duro, uma espécie de Rubinho Barrichelo do dia-a-dia, pode ser que em poucos quilômetros, ou mesmo metros depois, ele se encontre comigo. Este encontro pode ser num poste, num muro, num outro carro que venha no sentido contrário, num ponto de ônibus lotado de trabalhadores, ou no próprio ônibus, num cavalo, num carrinho de cachorro-quente, no fundo de um rio, em qualquer coisa ou lugar. “Deixa que eu dirijo” são palavras quase mágicas, pois podem levar vocês a lugares e situações nunca antes imaginados cuja única coisa em comum é terem, ou serem, um obstáculo fixo e resistente pela frente.

Uma rápida análise de texto revela algumas particularidades. Primeiro o tempo verbal da frase, o mais correto seria usar o DEIXE. Ou seja, a frase já derrapa no português, o que é um exercício claro de metalinguagem: a derrapada na língua refletir-se-á numa derrapada verdadeira, quando não num capotamento completo, e dará cabo do enunciador. Segundo que isto não faz a menor diferença, já que quem a diz vai empacotar mesmo, errar no português é o menor dos seus problemas.

Apesar da funcionalidade e do sucesso, o “deixa que eu dirjijo” é uma frase que caminha para o esquecimento. As famigeradas operações de Lei Seca tem acabado com grande parte do seu encanto, já que ninguém mais quer pegar no volante e arriscar ser parado pelas BOLS, onde geralmente surge outra frase clássica, mas nada fatal, o “eu não vou assoprar essa merda”, mas que não vem ao caso agora.

O “Deixa que eu dirijo” é simples, popular, e está ao alcance de qualquer um de vocês. Usem esta frase com moderação. Já que na manguaça, não adianta pedir, vocês não moderam MESMO!

________________________________________________________
Próximo Clássicos das Últimas Palavras: “VOCÊ NÃO É MACHO PRA PUXAR ESSE GATILHO!”

Anúncios

13 pensamentos sobre “CLÁSSICOS DAS ÚLTIMAS PALAVRAS – 2

  1. Morte, adoro ler seus textos você realmente tem uma escrita surprendente assim como atua muito bem em seu ramo de atividade.
    espero que aguarde muitos anos antes de me visitar, enquanto isso conserve sua escrita que possui muita qualidade.Parabens.
    Abs,
    Elaine Correia.

  2. Morte, sua escrita é excelente, mas acho “deixa que eu dirijo” não está errado gramaticalmente, desde que se tenha usado a segunda pessoa do singular no restante do texto.

    Diga-me, você é mesmo cruel com quem não morre quando devia morrer, como em “Premonição”?

  3. Dona Morte, vc acha que o @LeiSecaRJ te ajuda no contexto desse post ou atrapalha o pessoal da BOLS???

  4. Adoooro o jeito q vc escreve, apaixonei!Quantos dias de vida, um amor assim desinteressado!

  5. Morte!!!
    Você é a pessoa que eu mais leio no Twitter. Adoro seus tweets, acho você ultra engraçada e simpática e nunca pensei que fosse gostar de humor negro. hahaha ;)

    Genial a sua coragem de se expor assim, na lata, se colocar na internet dessa forma, sem medo de ser julgada ou insultada ou afastada com crucifixos (se bem que isso só funciona com vampiros, né?).

    Saiba que sou sua fã!! Mas daquelas que não faz a menor questão de um autógrafo, já que não pretendo conhecê-la NEM TÃO CEDO. :) De qualquer forma, já é bom ter esse contato, né?, e ficar por dentro das coisas. hahaha

    Beijos, Morte!
    Anna

  6. Olá, amore.
    Você passou esse final de semana na minha rua… Punk Rock total, heim?!!

    Fazer o cara se enforcar nem é um dos seus métodos mais originais, eu sei que você faz melhor que isso, mas o que ele fez antes disso foi completamente Hard. Minha pergunta é:
    Você participa dos minutos que antecedem sua chegada também?

  7. Comentar dá vale de dias também? Opa, Morte! E bajular? Ah, eu adoro o blog, HAHAHA :)

  8. Grande texto, morte. Agora que comentei, pode me dar mais uns dias de vida? :D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s