CLÁSSICOS DAS ÚLTIMAS PALAVRAS – 3

wpid-gatilho-2010-05-2-22-12.jpg

“VOCÊ NÃO É MACHO PRA PUXAR ESSE GATILHO!”

A estupidez humana não tem limites. Ou melhor, até tem, mas o limite da burrice é uma espécie de recorde olímpico que a humanidade tenta bater a todo custo como se fosse um Usain Bolt. O “Clássico das Últimas Palavras” desta semana seria medalha de ouro certa se houvesse uma competição de frases absurdamente idiotas. “Você não é macho pra puxar esse gatilho” é um exemplar de tudo o que não se deve dizer caso ainda haja um desejo mínimo de se continuar vivo. O que nem sempre parece ser o caso.

Muito comum em reações a assaltos à mão armada, em flagras de adultério, discussões no trânsito, e brigas de casal, o “Você não é macho para puxar esse gatilho” caracteriza-se pelo tom desafiador de alguém, certamente com pouca inteligência e amor à vida, a uma segunda pessoa que, por acaso, aponta-lhe uma arma. O raciocínio de quem profere estas palavras mais do que derradeiras é o seguinte: “Este cara me apontando uma arma é um bunda-mole. Ele apenas acha que não é porque tem uma arma na mão. Logo, ele não terá coragem, nem capacidade, de usar a própria arma que empunha”. Bem, sinto informar a muitos de vocês que este é um raciocínio enganoso e normalmente falho. Para não dizer imbecil.

A explicação é simples. Apesar de bem elaborado, o gatilho é um mecanismo simples que parte do princípio da alavanca para acionar o disparo de um projétil. O que em linguagem mais clara quer dizer: ATÉ UM MACACO É CAPAZ DE ACIONAR ESTA PORRA. Um mínimo espasmo, ou mero tremor de dedo, é capaz de enfiar uma azeitona na empada que estiver na frente.

Portanto, fica a pergunta: pra quê reagir? Pra quê provocar?! Se for para impressionar alguém, ou para dar uma de valentão diante da namorada, tenha a certeza que a tática funciona, mas por TRÊS SEGUNDOS, quando não menos. Se formos mais fundo na questão, e esmiuçarmos este ato insano como se deve, veremos que há um forte componente sócio-psicológico, cultural, e até sexual, que merece uma atenção à parte.

wpid-revolverportugues-2010-05-2-22-12.jpg

Não é preciso ir muito longe para perceber que há uma arrogância implícita na provocação, um tom de superioridade moral, e até física, que não condiz de modo algum com a situação de quem está prestes a virar presunto. O que o desafiador coloca em dúvida, de modo sub-reptício, é a potência e a virilidade de quem está armado, como se a arma fosse um pênis substituto que pudesse falhar na última hora. Deste modo fica claro que a frase denomina o (em breve) assassino de BROXA, o que só amplifica o poder de ação destas palavras e exemplifica ainda melhor o tamanho da asneira que é proferi-las.

Entretanto, caso em quem diga estas palavras haja um desejo latente de empacotar, não conheço suicídio melhor e mais funcional. “Você não é macho para puxar esse gatilho” é uma das frases mais eficazes que conheço para isso, garantindo uma morte rápida na medida exata. Um clássico das últimas palavras que não deixa dúvidas sobre os seus objetivos e que facilita muito a decisão de alguém que queira lhe mandar para os quintos dos infernos.

Sob este aspecto, pode-se até dizer que estas palavras escondem em si uma riqueza insuspeitada, uma dubiedade intrínseca, que a redime até certo ponto. Elas tanto podem ser as últimas palavras de uma alma superior, de alguém que já se desapegou da vida e está com o espírito pronto para subir aos céus, quanto as de uma alma inferior, que apenas não sabe onde enfiar a língua.

Se tiver dúvidas de que tipo você é, fique quieto. Pois pior do que ficar calado e todo mundo achar que você é burro, é abrir a boca e deixar todo mundo com a certeza. O “Você não é macho para puxar esse gatilho” é a prova dos nove da inteligência humana. E se você não souber o que é uma prova dos nove, já é um sério candidato a usá-la um dia.

________________________________________________________
Próximo Clássicos das Últimas Palavras: “RELAXE. É SÓ UMA CIRURGIA SIMPLES!”

Anúncios

10 pensamentos sobre “CLÁSSICOS DAS ÚLTIMAS PALAVRAS – 3

  1. excelente! Seus textos sao sempre muito bem elaborados! Vida longa a Sra Morte!!

  2. Muito bom! Sr.(a) Morte (ainda to na duvida) você é o melhor! Adoro seus textos, to no colegio nesse momento, fazendo pesquisa, mas não pude deixar de dar só uma passadinha pra conferir as novidades! Parabéns aí.
    bjs

  3. Depois de uns probleminhas de fígado, passei a fazer umas médias com a morte, é bem verdade..
    O que não quer dizer que eu não ache os seus textos divertidos e inteligentes. Muito bem aê “dafoice”.
    beijometwitta.

  4. “DONA Morte”? sua masculinidade está sendo duvidada por aqui! mas, só entre nós, ela já foi definitivamente contrariada pelas regras do Português… tá liberado dizer “Você não é macho pra me levar”??

  5. Poxa Seu Morte!! Me divirto demais com as suas aventuras por esse nosso mundinho humano fétido! Adoro suas tiradas com o Niemeyer e tenho uma frase humana pra te motivar: “When you wish upon a star, your dream come true”! Ao pensar no Niemeyer, lembre-se disso!! Bjão pro Senhor!hahaa

  6. Olha, Dona Morte… com essas tiradas fantásticas a senhora só está é procurando mais serviço. Vão aumentar seus fãs e mais e mais gente vai te seguir… no mais parabéns pela qualidade dos textos e pelas sacadas sempre perfeitas. Sou fã também… mas me esqueça pelos próximos 80 anos, ok??? Kkkkk….

  7. Mais um texto incrivel, e verdadeiro. Virei fã da morte (é.. bem…deixa pra lá…)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s