LETRAS MORTAS 4

wpid-velhice4-2010-08-2-17-36.jpg

Quando a idade corroer-te além do aceitável
além, muito além, de todo sentido humano
perceberás que a vida em nada é admirável
e que o mundo não passa de divino engano

Está na ruína do teu corpo o único sentido
No teu coração estanque a triste resposta
No ocaso da mente o teu paraíso perdido
E na crença de uma alma tua última aposta

Quando o tempo levar tua alegria de viver,
Talvez seja tempo de não viveres mais
Dias se arrastarão da manhã ao anoitecer

Noites se consumirão na tua falta de paz
E não pense que havia algo mais a perder:
Era tua última chance. Outra terás jamais.

MORTE

Anúncios

6 pensamentos sobre “LETRAS MORTAS 4

  1. Ó tú mortal que me vês
    Olha-me bem como estou
    Como tú és eu já fui
    E tú hás de ser como sou!

  2. Muito bonito, e acima de tudo, mais pura verdade.
    Não esperava ler um soneto aos moldes clássicos XD

  3. Ser jovem eternamente é o meu lema, velhici so pros que a querem, em seu redor!

  4. “A idade não depende dos anos, mas sim do temperamento e da saúde; umas pessoas já nascem velhas, outras jamais envelhecem.”
    ( Tyron Edwards )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s